O que é Mentoring?

Origens do Mentoring

A palavra “Mentor” vem do grego e lembra a lendária figura do fiel escravo, de mesmo nome, a quem Ulisses entregou a educação do seu filho Telêmaco, ao partir para a Guerra de Tróia. Os termos “Tutor” e “Preceptor” também são usados. Por exemplo, Aristóteles foi Preceptor de Alexandre Magno na juventude. José Bonifácio foi Tutor de D. Pedro II na adolescência.

Na Idade média havia a figura do Mestre de ofício para os aprendizes de uma profissão. Até na moderna escola, temos o Orientador de Tese dos mestrandos e doutorandos.

O que se percebe em todos estes termos é que a figura de um Mentor, nas suas diferentes expressões, é antiga e tem sempre um forte conteúdo pedagógico. Neste sentido, o Mentoring é geralmente uma pessoa mais experiente ou quem detenha conhecimentos mais ampliados que orienta alguém, seja para a profissão ou para o exercício do poder ou para expandir suas áreas de conhecimento ou simplesmente para viver mais feliz.

O que é Mentoring?

Atualidade

Hoje em dia, além do Mentoring, existem diversas ferramentas de desenvolvimento e de evolução. As ferramentas mais utilizadas atualmente são o Counselling, o Coaching, o próprio Mentoring,  o Advice, e mais recentemente, o Holomentoring® , termo cunhado pelo Instituto Holos de Qualidade.

A dificuldade da conceituação do Mentoring

Existem diversas vertentes, linhas de pensamento e diferentes visões de mundo dos autores que escrevem ou tentam definir os conceitos de  Counselling, Coaching e Mentoring, muitas vezes contraditórios entre si. O que um chama de Mentoring é para o outro o Coaching e vice-versa. Nos últimos anos foram se criando inúmeras modalidades de Coaching, tais como: de Vida, de Saúde, de Qualidade de Vida, Esportivo, Familiar, Beleza, Educação, Negócios, Liderança, Financeiro etc.

Também para o Mentoring existem algumas formas diferentes, tais como o Mentor-pai (que age como um amigo mais velho, conselheiro espiritual, confessor), o Mentor de carreira (que acompanha a evolução profissional ou acadêmica), o Mentor profissional (um profissional mais experiente que orienta um trainee ou pessoas em fase de promoção e qualificação interna) etc.

A abordagem de Mentoring do autor

Em minha abordagem sobre Mentoring, não pretendo defender ou atacar nenhum conceito de Mentoring, pois todos buscam atender, cada um a seu modo, uma determinada necessidade humana. Pretendo que a conceituação de Mentoring que estou propondo, e a metodologia específica que a acompanha, não se tornem uma cortina ou um impedimento de servir mais amplamente as pessoas. Embora necessitemos de conceitos e metodologias, a Vida e o Ser Humano estão além delas.

Como todos os processos e necessidades humanas estão interligados e são interdependentes, quero adotar, no contexto deste artigo, uma abordagem holossistêmica, (holo significa visão mais ampla do todo, e sistêmico, a interligação das várias partes). É esta visão holossistêmica que vai nos guiar para a compreensão do que entendemos por Mentoring. Quando, pois, me proponho conceituar e definir o Mentoring estarei também me referindo ao que denomino de Holomentoring® .

Nós partimos do termo raíz da palavra Mentoring: ‘Mente’. E este termo determina o que entendemos por Mentoring, Mentoria, Mentor, Mentorado. A Mentoria, pois, tem a ver com trabalhar com a mente de alguém. Mas será que é fácil trabalhar com a mente das pessoas?

A mente do ser humano tem como suporte físico o cérebro. E o cérebro humano é fruto de um longo processo de aperfeiçoamento da capacidade de se comunicar com o meio em que se vive. No ser humano este fantástico instrumento de comunicação com o meio interno e com o mundo externo atingiu um nível extraordinário de complexificação.

A mente unitriádica

Vou apresentar inicialmente a visão dos três cérebros, com base nas pesquisas do russo Alexander Luria e do norte-americano Paul MacLean.

mentoring: estrutura mental unitriádica

Temos um campo cerebral mais antigo, o corpo caloso, o reptílico, base posterior do cérebro que, segundo MacLean, comanda o funcionamento fisiológico do organismo em faixa interna e o funcionamento moto-operacional, de ação prática, na faixa externa, e que responde primordialmente pelos movimentos e pelos chamados instintos de reprodução, sobrevivência e agressividade, que depois se transformam em profissão, organização e rotinas.  É o suporte de nossa mente operacional (fazer, ter, sobreviver, realizar), quase sempre esquecida por quem trabalha as funções cérebro-mentais.

No hemisfério direito temos, segundo MacLean, o sistema límbico, que comanda a percepção gestáltica do próprio corpo em faixa interna e a percepção intuitivo-emocional da faixa externa. Responde pela ludicidade, afetividade, sentimentos, criatividade, estética, religiosidade e apego a mitos. É suporte de nossa mente emocional.

E no hemisfério esquerdo temos a porção frontal neo-cortical que, segundo MacLean, comanda o processamento analítico-lógico-verbal-direcional e responde pela comunicação verbal, o cálculo, o raciocínio lógico, a pesquisa, a análise e a crítica. É suporte de nossa mente racional.

Mas o cérebro e toda a rede neurológica de nosso organismo é apenas um instrumento de algo ainda mais fantástico: a capacidade de raciocinar, de distinguir, de comparar, de dar sentido a tudo o que percebemos em nós e no meio de convivência com outros seres humanos e com a infinita multiplicidade da natureza. Nós sentimos, nos emocionamos com as coisas, percebemos os movimentos que ocorrem e podemos, através da razão, ter consciência do que se passa e podemos dar sentido e mudar, adaptar o mundo ao nosso redor.

A mente, porém, é um sistema unitriádico, o que determina que estes campos mentais não podem atuar isoladamente. São simultâneos, ora com foco em mais um campo, ora em outro.

Agora, o que conhecemos dessa mente que nos permite buscar entender tudo que se passa ao nosso redor, a tomar consciência de nossas reações emocionais e buscarmos novas maneiras de ver, para atuar de forma tão poderosa na construção de um mundo adequado aos nossos interesses?

Em outras palavras: o que conhecemos de nossa mente? O que nossa mente conhece de si mesma? Quanta consciência temos de nossas emoções? Por que gostamos disso e não gostamos daquilo? Por que tais comportamentos são aceitáveis e outros não? Quanto, na verdade, nós entendemos de nós mesmos? Quanto projetamos sobre as outras pessoas e coisas os sentimentos e preconceitos que estão dentro de nós e queremos avaliar os outros e o mundo segundo nossas próprias limitações?

Conceituação do Mentoring

É aqui que entra o Mentoring, segundo nossa forma de entender. É uma atividade de pessoas preparadas para ajudar as pessoas a se olharem. A se conhecerem mais. A se tornarem mais atentas a si mesmas. A buscarem primeiro entender o que se passa em seu próprio interior, para que sua ação junto às outras pessoas não se torne tão invasiva. Para isso, a principal função do Mentor é instrumentar seu Mentorado a voltar sua mente consciente a seu próprio interior, antes de agir em seu mundo exterior – seja na família, na empresa ou na sociedade.

O Mentoring nos põe em contato com a Fonte do Ser (o Presencing, na expressão de Peter Senge), ou seja, é uma forma de atuarmos conectados com a mente e a sabedoria inata que temos; de utilizarmos adequadamente a inspiração e a intenção de nossa consciência, transformando de forma digna nossas relações e nossas organizações. Afinal, são estas que precisam urgentemente de novos modelos e de pessoas mais felizes.

Mentoring está ligado ao processo de criar o novo, de redesenhar a vida pessoal e profissional, de fazer aflorar a sabedoria inata em cada um de nós, de termos nova consciência e nos tornarmos pessoas autoconduzidas, centradas e com poder decisório. Pessoas que cultivam, antes de tudo, a ampliação de sua mente, em busca da felicidade e do profundo respeito aos outros e ao meio em que vivem.

O Mentoring está, pois, ligado a um Novo Pensar, superando modelos lineares e estáticos advindos da era industrial, que criaram antigos modelos de vida, de empresas e de negócios, predominantes ainda hoje, que não podem mais subsistir. Estamos diante de uma nova realidade mundial complexa, onde não cabem mais líderes-heróis, salvadores solitários, ou onde tentativas de resolução com pensamentos fragmentados são inócuas. Situações complexas só podem ser resolvidas com abordagem e instrumentais complexos.

Quem pode ser Mentor?

  • pessoa mais experiente, numa espécie de apadrinhamento na empresa, por exemplo;
  • pessoa com postura prestadia, disposta a servir de apoio para o desenvolvimento e a busca de autorrealização de outras pessoas;
  • pessoa com formação em Mentoring;
  • pessoa com mentalidade aberta que possa apresentar, por exemplo, através de gráficos e referenciais, aspectos que ampliem as perspectivas de vida ou inspirem para algo mais amplo e transformador, com mudança de paradigmas e modos de vida.
  • Pessoa que recebe um treinamento específico para aplicar conhecimentos e ferramentas especiais de Mentoring ISOR® com abordagem humanizada e holossistêmica.
  •  Profissionais mais jovens que mentoram pessoas mais experientes no novo mundo das inovações tecnológicas  e modernas formas de liderança e gestão.
  •  Profissionais  mais experientes nas empresas que mentoram novos líderes ou trainees.
  •  Pessoas ou Profissionais que usam a Sabedoria inata e fazem diferença positiva na vida das pessoas.
  •  Professores e mestres que mentoram seus alunos com preparação para a Vida, abertura mental  e/ou obtenção do sucesso e bem-estar.
  • Pessoas que deixaram um legado no mundo e que continua  inspirando pessoas.
  •  Pessoas mais experientes e de notório saber que podem repassar ou compartilhar  sua experiência e  conhecimentos adquirido ao longo dos  anos.
  • Pessoas com forte desenvolvimento, evolução ou visão que inspirem  pessoas para realizarem transformações.

 

Considerações

Mentoring funciona basicamente como uma “monitoria”,   é quem assume a função de Mentor,  que orienta, aconselha e aponta caminhos. Mentor é muitas vezes,  o conselheiro sábio e confiável de uma pessoa mais inexperiente.

Mentoring  é uma rica ferramenta estratégica de desenvolvimento e peça fundamental na formação de nova mentalidade gerencial.

Mentoring  visa estabelecer uma visão do que poderá ser conquistada no  futuro e quais  potencialidades que poderão ser adquiridas ou ativadas para fazer as mudanças.

Pode ser aplicado em pequenas, média ou grandes empresas, em diferentes níveis de profundidade.

Definições de Mentoring

Ouvi de Jack Carew na sua palestra “Mentoring – Uma Tecnologia para Obtenção da Excelência Empresarial – proferida no 30º Congresso Mundial de T&D do IFTDO”  em Porto Alegre esta definição fantástica que o “Mentoring é o ato de despertar as grandes possibilidades que existem nas pessoas. É uma forma antiga de educação e transferência de sabedoria. Mentoring se refere ao despertar do espírito humano e à liberação do imenso potencial que existe em todos nós. Quando alguém é Mentor, significa que é amigo e defensor de outras pessoas.”

O conceito do European Mentoring Center de Mentoring: “é o apoio – sem relação de hierarquia – de uma pessoa a outra para mudanças e condução de transições significativas em conhecimento,  trabalho e formas de pensar.

 Assim também dou a minha definição pessoal mais concisa:

 “Mentoring é a arte da entreajuda onde o Mentor auxilia o Mentorado a cultivar-se e subir degraus evolutivos rumo a realização da plenitude da vida pessoal, profissional e social.”

Marcos Wunderlich –  Instituto Holos

 Mais recentemente ampliei esta definição para:

“Mentoring é um processo de transferência, de insights, aquisição de nova mentalidade a partir do relacionamento do Mentor e o Mentorado.

Tem como eixo a felicidade humana e obtenção de formas de vida mais satisfatórias e coerentes. Promove qualidade em Liderança, Relações, Carreira, Mentalidade, Vida  e Felicidade.

Sua profundidade depende do grau de  sintonia  com as leis universais e utilização da sabedoria inata.

Quando alguém é mentor verdadeiramente,  significa que age a partir da  postura prestadia.”

Considerações finais sobre o Mentoring:

No Mentoring tomamos o cuidado da não diretividade ou enquadramento de pessoas em novos padrões, tão aprisionantes quanto outros. Buscamos levar as pessoas a redescobertas por insights, por apresentação de referenciais holográficos ou pela emergência da sabedoria interna.

Precisamos também entender que o Mentoring não é uma ciência exata. O Mentor  se adapta, a cada momento, às necessidades do Mentorado. Segundo essas, o processo poderá voltar-se ora mais para um Counselling, ora para o Coaching, ou Advice sem perder o foco. Cada cliente de Mentoring e cada Mentor são únicos assim como cada atividade será sempre única.

Um Mentor tem normalmente um cabedal de conhecimentos e ferramentas próprias para exercer o Mentoring. Como sou formador de mentores e de coaches, sugiro que cada um vá formando seu próprio conjunto de ferramentas e que tenham referenciais explícitos que sirvam de apoio mental e ponto de partida das atividades de Mentoring.

Já dizia Carl Jung: “Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana.” É o que realmente importa.

Agenda

    1. Formação Professional em Mentoring, Coaching e Advice Humanizado ISOR® – São Paulo – SP

      25/janeiro/2018 a 27/janeiro/2018
    2. Formação Master em Mentoring, Coaching e Advice Humanizado ISOR®- São Paulo – SP

      20/abril/2018 a 22/abril/2018

Conheça nossos
cursos a distância.

SAIBA MAIS

Solicite um atendimento

Depoimentos

Gostaria de agradecer ao Instituto Holos pela grande mudança que este curso me proporcionou. Tinha dúvidas e até mesmo uma certa resistência ao material, mas tudo desapareceu logo após o primeiro contato. O material é apresentado de forma detalhada e com cuidado para que cada etapa seja fundamentado de forma correta. A tutoria consegue esclarecer de forma simples e completa as dúvidas que surgem durante o curso. Os materiais da biblioteca são excelentes e garantem a compreensão perfeita dos assuntos das aulas. Sem dúvida foi o melhor investimento que já fiz para o meu desenvolvimento pessoal e profissional. A todos do Instituto Holos meu muito obrigado. (Curso a distância)

Ismar Souza – Guarulhos, SP 27 de fevereiro de 2017